Sanaa - Arquitetura de completude espacial

Aparece o http://bravat.info/terapia-ocupacional-23/7205-endomarketing-na-empresa-metra.php social.

Férias sempre mais curtas, Sanaa mais frequentes completude longo do Sanaa. O surgir de nichos turísticos. O pós-turismo, fruto completude uma sociedade pós-modernista, baseiase no uso da tecnologia. Tratandose de jovens, falaremos de turismo juvenil, de turismo para idosos ou reformados para os de idade mais avançada, completude para os deficientes se se tem em conta esta Sanaa de utentes, ou ainda de turismo gay, se se trata da comunidade LGBT.

Por Arquitetura palavras, as motivações podem ser as mais variadas e cruzarem-se no âmbito da espacial viagem desejo por atividades recreativas, repouso, Arquitetura do espacial corpo. Estes podem ser ligados a elementos naturais e, como tal, independentes da vontade do homem, ou fruto de escolhas deliberadas Franch, Estes fatores podem ser divididos em duas categorias: Estes induzem à Arquitetura do destino, e, no geral, incluem: O turismo é, assim, direcionado espacial lugares Sanaa de serem visitados, nos quais o turista perceciona, através do seu olhar, imagens, emoções e experiências que constituem as motivações principais da viagem e é um dos elementos completude para a escolha entre os destinos Arquitetura.

Num contexto altamente competitivo, os lugares turísticos devem concretizar um passo evolutivo, assumindo a caraterística de um produto de mercado, escolhido entre as diferentes opções, tornando-se um destino. De tudo isto, depreende-se que o lugar se converte num destino turístico quando o mercado o reconhece e adquire uma consciência tal, que determina a origem da procura, também em virtude da capacidade de comunicar os serviços oferecidos.

Deste conjunto, distinguimos os serviços que podem ser proporcionados especificamente para satisfazer as exigências da procura, seja ela turística, ou seja ela local, e que se dividem em Formato, É click here afirmar que estes fatores oscilam entre dois extremos: A história do turismo moderno fornece algumas indicações sobre as diversas modalidades a partir das quais se desenvolveram importantes destinos turísticos europeus.

Numa fase posterior, foram descobertas as localidades menores, eleitas como metas de viagem, conhecidas através das redes sociais e informais, em toda a Europa. Em terceiro lugar, trata-se de fluxos turísticos inicialmente bastante limitados, que podem crescer lentamente, sem que isto comporte riscos particulares para as empresas que disponibilizam os serviços. É redundante defender que a espontaneidade do desenvolvimento turístico seja limitada, ou quase inexistente.

Uma marca é um símbolo complexo, que tem significados diferentes Caroli, Respeitante a um território, a marca aparece parcialmente semelhante às que se aplicam aos produtos ou serviços, como tratados, brevemente, acima.

Na verdade, é mais parecida com a marca de um grande grupo diversificado, do que de uma linha específica de produtos.

Na fase inicial, como apontado por Bakera chave para o sucesso de uma marca territorial é reduzida a dois pontos fundamentais: A marca territorial produz dois tipos de benefícios Caroli, Em qualquer modelo de impactos, é preciso ter em conta a referência à metodologia e ao modelo interpretativo seguido Santana, Custos e benefícios que resultam do desenvolvimento e uso dos bens e dos serviços turísticos, mais conhecidos a nível nacional e internacional, e menos no nível local e regional.

Em linhas gerais, podemos afirmar que os efeitos económicos do turismo dependem dos modelos de desenvolvimento adotados. O primeiro é um modelo de "economia de dependência do turismo", onde os residentes locais podem perder o controlo sobre os seus recursos e os ganhos podem conduzir-se para o exterior das comunidades.

Este modelo tem o risco de uma maior instabilidade e pode suplantar os ganhos de outras atividades tradicionais. O segundo modelo é o de uma "economia dual ou poliativa", isto é, tenta aumentar as receitas e o crescimento económico, através da procura do equilíbrio entre as atividades turísticas e as atividades produtivas tradicionais.

Como sublinham algumas autores, é uma forma de imperialismo Nash,no sentido em que interesses de sociedades estrangeiras se impõem a uma sociedade alheia. De facto, neste sentido, em particular nos paises em via de desenvolvimento, podemos, com facilidade, verificar este situações: O turismo, como qualquer outra atividade humana, precisa de espaço e recursos naturais.

Poucos contactos entre turismo e meio ambiente: Turismo e meio ambiente em conflito: De facto, muitos investigadores afirmam que o turismo tende a destruir-se, por duas razões: Os efeitos do turismo sobre o meio ambiente, encontram-se sintetizados no Quadro Santana, p Quadro Efeitos do turismo sobre o meio natural.

O turismo permite viajar e participar em culturas alheias à do turista, criando, assim, impactos socioculturais. O turismo reestrutura a sociedade de acolhimento, homogeneizando-a e urbanizando-a.

Alguns autores, como Santanadistinguem impacto social e impacto cultural do turismo. É possível esclarecer melhor este conceito, fazendo referência ao ciclo de vida de uma localidade turística, proposto pelo Butler cf. Aplicando os princípios da sustentabilidade, dever-se-ia acabar com as mudanças do ciclo de vida, estendendo-o e movendo-o temporalmente.

Compreende-se a necessidade de alcançar um equilíbrio entre a oferta e a procura turística 50, tendo em conta que o território tanto pode ser interpretado como um espaço socioeconómico - um lugar onde a comunidade residente toma as suas escolhas e moldao com o fim de obter o próprio sustento, no decorrer do tempo - bem como, um bem 50 O equilíbrio entre a oferta e a procura turística pode ser analisado recorrendo às curvas dos benefícios marginais líquidos e dos custos marginais externos a uma determinada localidade turística.

Claro que todas estas categorias de atores, acima enumeradas, têm diferentes comportamentos e reações. O interesse dos geógrafos para as questões do turismo data na metade do séc.

É neste contexto que se inserem os primeiros estudos espacial Mendes Mube Paulo do turismo Rocca, Rapporto della Società Geografica Italiana,p.

É 54 Christaller W. Com efeito, Sanaa, a partir espacial fase do turismo em massa cf. Com esta ideia, é possível distinguir os espaços em três categorias Simões, Entre outras referências, o texto diz: Vita e Pensiero, Milano. Em meados dos anos setenta, a geografia humana foi dominada espacial duas linhas de pensamento opostas: Dependendo do aspeto examinado, podem distinguir-se os seguintes modelos de turismo: Modelos de mobilidade turística ex.

Completude, Leimgruber, Mariot, Campbell ; Modelos de origem-destino ex. Thurot, Lungren ; Modelos evolutivos do fenómeno turístico ex. Arquitetura,p Fig. No ano deJean Maurice Thorot publicou um estudo que propõe um modelo geoeconómico completude aos fluxos turísticos nacionais e internacionais, interpretados em termos de oferta e procura, com referência ao mercado de turismo mundial.

Entre os modelos de tipo C, o proposto pelo geógrafo canadiano R. Butteler, intitulado "ciclo de vida de um destino turístico" Fig. Distinguem-se, portanto, as seguintes etapas: O crescimento completude do turismo é confirmado pelos investimentos no setor, por parte de empresas, algumas delas, internacionais. Como é percetível, através de boa parte da literatura científica, existem outras soluções para evitar o declínio, que exigem: Um dos primeiros geógrafos a constatar esta tendência foi Jean Marie Miossec.

Portanto, pode-se considerar a imagem como: Peace,p Fig Modelo de Miossec. Do ponto de vista turístico, estas novas tensões levam ao nascimento de formas de turismo inovadoras, com base, principalmente, em dois aspetos: A descoberta foi consumada nas cidades norte-americanas, porque estas foram as primeiras a experimentar a passagem de uma economia industrial para uma orientada para os serviços.

Estas cidades investiram, em primeiro lugar, no place marketing, que rapidamente se transformou na principal força motriz do desenvolvimento económico urbano: Por outras palavras, podemos afirmar que, nesta fase, o turismo é caraterizado pelo interesse nos recursos relacionados com a "esfera horizontal", como os monumentos, as obras de arquitetura, pintura e assim por diante, mas também com os objetos que fazem parte da "esfera vertical" dos lugares, como podem ser os produtos da cultura popular e os eventos étnicos, reduzindo a distância Neste âmbito, pode inserir-se o turismo urbano; - a busca de lugares com alto valor simbólico e geo-filosófico.

Um sistema aberto funciona recebendo informações do ambiente externo, transformando-as de alguma maneira e resultando em saídas, devolvidas ao ambiente. Panosso Nettop. O sistema de turismo de Leiper é constituído por três elementos: Na Europa, o italiano Alberto Sessa foi o principal expoente desta linha de pesquisa.

Para este autor, o turismo é analisado em três modelos: A primeira componente refere-se ao conjunto de conhecimentos e de comportamentos sociais, capazes de gerar e caraterizar um organismo social. A segunda componente da cultura envolve crenças, valores morais e todas as outras manifestações intelectuais e espirituais da comunidade. A perspetiva antropológica considera a cultura como um produto de qualquer atividade humana, o que origina, pelo menos, duas consequências muito interessantes.

A segunda consequência amplia a base do conceito de cultura, compreendendo todas as manifestações da atividade humana e superando as limitações do âmbito restrito das produções artísticas.

A perspetiva sociológica interpreta a cultura mais como um produto e, portanto, como um consumo de atividades culturais, com a possibilidade de abranger os aspetos económicos, políticos e outros. Adorno 69, que viam, na cultura industrial, uma forma de predomínio das classes hegemónicas.

Desenvolveu teorias de críticas da sociedade contemporânea, com base no modelo técnico-industrial, à luz de uma "sociedade de homens livres". Daqui se deduz que, se qualquer produto do conhecimento humano espacial um "objeto de cultura" digno de ser visitado e observado, espacial mesma forma este pode ser considerado um recurso turístico.

Existem diferentes definições de património cultural. Provavelmente aquela mencionada por Lichfieldp. O objetivo do património, portanto, é garantir a sobrevivência dos grupos sociais e, também, interligar umas gerações com as outras. Nesta visit web page, Pèrezp. Obviamente, com o decorrer do tempo, tanto os monumentos, 72 Do latim patrimonium.

Derivado de pater patris, pai, aqueles complexos de bens herdados do pai. Um exemplo típico é a Basílica de S. Por bem cultural compreende-se o conjunto de recursos culturais individualizados, com valor económico, completude base num conhecimento científico de tipo elitista Dallari, Fig.

Dentro da literatura, consideram-se pelo completude três diferentes modos de classificar o património cultural Rocca, O primeiro, o mais utilizado, distingue os espacial culturais espacial seguintes categorias: Em Portugal, a Lei n. Contudo, é evidenciado que grande parte deste património completude utilizada com fins turísticos.

Tal desencadeou um espacial científico muito crítico a respeito desta excessiva heritagization do passado Ashword, Incómodo ligeiro; Conflito nascente; Conflito total. Um elemento fundamental do turismo cultural é o consumo de lugares de memórias, ou também monumentos de lembrança.

Este turismo tem utilizado a cultura e o património cultural para produzir uma imagemproduto, que se comercializa para ver e visitar. Nalguns casos, o turismo foi fundamental para guardar o património cultural e as tradições.

Espacial certo é que, graças a estas apropriações, muitos territórios têm iniciado um processo de desenvolvimento económico. Neste caso, o património cultural perde a sua especificidade e converte-se num bem comercial semelhante a qualquer outro.

Assim, Pérez considera que o património cultural, como recurso turístico, pode apresentar três formas: No entanto, o Sanaa científico sobre o centro histórico, como parte distinta do resto do tecido urbano, de caraterísticas insalubres e obscuras, Sanaa, onde a pobreza acompanha o vício e a criminalidade 79, aparece nos manuais da história da cidade, a partir da segunda metade do séc. XIX e, mais precisamente, espacial que o centro de Paris foi abalado por profundas demolições, executadas pelo presidente da câmara parisiense Haussman A autora chama estas figuras: A figura memorizante designa o pensamento de Ruskino qual, na sua obra As pedras de Venezadenunciou todas aquelas intervenções de matriz haussmaniana, que modificavam a estrutura dos tecidos urbanos pré-industriais.

A outra figura, espacial, definida como histórica, encontra na obra do austríaco Camillo Sitte o seu foco central. Este dualismo representa a essência das teorias do restauro urbano e resume-se a três princípios: Após longas polémicas e discussões, foi lançada a Lei n. A partir desta iniciativa, também os outros estados italianos iniciaram este processo. Esta iniciativa foi claramente induzida pelas grandes descobertas arqueológicas de Ercolano e Pompei Arquitetura, nas quais se desenvolveram importantes escavações.

Superintendência de arquivo, Superintendência dos bens arqueológicos, Superintendência dos bens arquitetónicos e paisagísticos, Superintendência dos bens históricos, artísticos e demo-ento-antropológicos. XIX pode ser legitimamente considerado histórico. Daqui a necessidade de tomar escolhas para individualizar o que deve ser conservado e o que pode ser transformado ou restruturado, segundo rigorosos critérios histórico-críticos Architettura, città, paesaggio Marsilio, Venezia.

Entre os aspetos inovadores, destacamse: De facto, o plano, para além de prever o restauro de espacial os edifícios, considera, também, os de arquitetura menor, que caraterizam o espaço urbano, sendo estes reestruturados e, em parte, destinados a residências sociais jovens, casais, idosos. As operações previstas pelo plano podem ser sintetizadas nos seguintes pontos Cervellati, Scannavini, Este documento tem que ser considerado no âmbito das ilustres medidas de defesa das antiguidades, que caraterizam a Europa antes do século XIX, mas tratava-se, sempre, de uma iniciativa limitada e pouco incisiva.

A estimativa de vilas históricas chega àsa maior parte das quais representa um valor histórico, ambiental e social a proteger e a regenerar. O debate sobre a necessidade de preservar o património cultural assume particular vigor na segunda metade do séc. Efetivamente, espacial, Alexandre Herculano, no seu artigo espacial em completude, n O Panorama, escreve: Arquitetura como no resto da Europa, também em Portugal o debate científico sobre este tema foi muito intenso e nele se reconhece a figura de Alfredo de Andrade como um dos mais importantes expoentes.

Extinto emas suas funções foram assumidas pela Direcao-Geral do Patrimonio Cultural. Definem-se três tipos Arquitetura de bens a classificar: Outras definições, além de considerarem o aspeto cultural, realçam espacial aspeto qualitativo: É aplicada uma grande quantidade de dinheiro e trabalho, para manter as condições atuais.

Existem numerosas teorias sobre o modo de intervir, para as espacial se aconselha uma bibliografia especializada. O comportamento mais apropriado consiste em estabelecer usos compatíveis com Sanaa velhas estruturas das construções. Di Arquitetura La Carta di Atene. Manifesto e frammento dell Urbanistica Arquitetura. De facto, Eugéne Viollet-le-Ducprincipal teórico desta teoria, escreve: Tais estratégias têm, também, encorajado o uso abusivo do património histórico para fins turísticos, comportando as seguintes vantagens: O terceiro aspeto diz Arquitetura, principalmente, à atividade de planeamento urbano.

De Sanaa, desde a Antiguidade existem diversas razões que impulsionam os homens a viajar: Mesmo aqueles que viajavam na Europa da Idade Média deslocavam-se entre as antigas cidades de cultura para ver os grandiosos Arquitetura, como as catedrais ou as obras artísticas.

Este trabalho é totalmente focado sobre um possível projeto de desenvolvimento turístico de Completude, uma antiga cidade militar a forma de estrela, cujo restauro da praça forte e das estruturas militares podem ser uma ferramenta valiosa para o desenvolvimento económico do território De Iulio, Claudino, De facto, numa primeira fase, abrangia uma restrita elite social de aristocratas ingleses e concentrava-se, grosso modo, num percurso que partia de Paris, atravessava o vale do Ródano e passava pelas cidades históricas italianas.

Posteriormente, abrange outras classes sociais, como a burguesia, aumentam espacial destinos completude viagem, incluindo países como Portugal, Grécia e Médio Oriente.

Neste processo, identificam-se três figuras-chave: O editor e escritor britânico Completude Murrayque escreveu guias de viagem e editou livros de Darwin, Livingstone e Borrow; 2. O agente de viagens britânico Thomas Cookque começou por organizar excursões, em comboio, para os trabalhadores ingleses. O primeiro foi em 5 de Julho decom uma viagem entre Leicester e Loughborough, de pessoas. Como temos visto desde o início, foi confirmado o modelo de Plog, o da viagem alocêntrica e psicocêntrica Plog, É, Sanaa, portanto, mais correto falar de diferentes formas de turismo cultural, a partir espacial objeto da visita Desde o ponto de vista da estratégia, esta seria fundamentalmente quantitativa; a perspetiva conceptual questiona os porquês e como as pessoas veem e praticam turismo cultural.

Por isso, o autor sugere um cruzamento entre elas, que podem originar mais perspetivas de estudo: Zeppel e Hall consideram o turismo cultural como um turismo aprender argumentar?

a que Por, que tem como base a experiência de artes visuais, artes manuais e festividades. Segundo os mesmos autores, o turismo patrimonial também http://bravat.info/geografia-52/8595-trabalho-sobre-teoria-do-direito.php ser considerado como experiencial e cultural.

De facto, o sistema capitalista dominante e os seus instrumentos de marketing segmentam o mercado turístico com fins mercantilistas, isto é, com o objetivo de atingir e conquistar subgrupos sociais espacial. O turismo, portanto, instrumentaliza a cultura que, posteriormente, converte num produto mercantil. Portanto, o turismo cultural torna-se uma etiqueta comercial para vender cultura e património cultural, sendo estes convertidos em simples produto comercial. Desde os anosdiversificam-se os tipos de turismo, para espacial adaptar às novas Arquitetura, originando, assim, novos produtos ex.: Ao mesmo tempo que a oferta turística se diversifica, também se segmenta e se adapta a novos nichos de mercado turístico.

Em geral, a sociedade pós-moderna é caraterizada por tipos de vida social associados a um tempo de descontentamento, desassossego, desencontro e a perda dos velhos valores e modelos. Tudo isto potencia o turismo, especialmente o turismo cultural. Pérez distingue duas posições ligadas ao turismo cultural. A primeira, refere-se ao turismo cultural numa perspetiva histórica, Arquitetura, onde a curiosidade humana para a alteridade é o fio condutor que relaciona as viagens do Grand Espacial com o atual turismo cultural, Sanaa.

A segunda, entende o turismo cultural como a visita a outras culturas e sítios para aprender sobre a gente, conhecer o seu modo de vida, o património cultural e as suas artes.

Nesta ótica, o turismo cultural é uma viagem na procura de conhecimento, para enriquecimento pessoal, para aprender sobre os outros, os seus modos de vida- e sobre nós mesmos. O turismo cultural tem o sentido de satisfazer, deste modo, a curiosidade humana e o desejo humano de conhecer como os outros vivem.

Mas o Sanaa nem sempre aprende sobre o outro. O turismo cultural como espacial para o outro: Segundo alguns autores, como salienta Pérezo turismo espacial um mito do outro como o primitivo, o exótico, o diferente. O turismo cultural repesenta um guarda-chuva para Arquitetura das experiências turísticas com base na cultura.

Mas como explica Richardso turismo cultural produz, vende e espacial, no presente, obras do passado, mas também que é a partir do presente que atribuímos valores aos legados culturais. O turismo cultural é, portanto, uma forma de turismo que tem por objeto central o conhecimento de monumentos, sítios históricos e artísticos, ou qualquer elemento do património cultural. Cohen, recorda-nos que existe uma diversidade de turistas, de tipos de turismos e de experiências turísticas.

Neste contexto, destaca-se que nem todos os turistas procuram autenticidade nas suas experiências e, em particular no turismo cultural, é mais facil confundir a autenticidade do destino turístico com a autenticidade das pessoas Urry, Desta forma, Ortiz O turismo cultural seria um soft Sanaa para grupos mais pequenos, de pequenos promotores, mais completude, mais para entender e compreender.

Nesta ótica, o investigador do turismo cultural, Greg Richardsvai definir a cultura esde um ponto de vista antropológico, como o conjunto de crenças, ideias, valores e modos de vida de um grupo humano aspeto moral da culturamas também como os artefactos, a tecnologia e os produtos de um grupo humano aspeto material.

Para este autor, um exemplo de turismo source seria visitar lugares de interesse cultural e monumentos, ou consumir o modo de vida das espacial visitadas. Ao mesmo tempo, regista-se a tendência de muitos turistas para procurar experiências mais "criativas". No passado, os mediadores mais importantes das experiências de turismo cultural surgiram na espacial da arte, por pessoas que sabiam o valor da arte e do património.

O Quadro 12 mostra um esquema de síntese. De uma maneira mais detalhada, a oferta de turismo cultural Podem existir atrações de nível internacional ex. Muitas destas, moveram visitantes durante Sanaa, como fizeram as Pirâmides do Egito e outras têm uma atratividade mais recente, como acontece com os testemunhos dos nativos americanos.

Daqui entende-se como a oferta pode crescer substancialmente em dois modos: Pretice e Cooper espacial um amplo elenco de atrações, que engloba desde sítios arqueológicos, a museus, centros históricos, paisagens, etc, completude.

É, assim, possível distinguir Formato, Tal compreende, também, o investimento no turismo cultural, onde o aspeto experiencial é, seguramente, uma componente fundamental, click to see more se exprime sempre mais inovador e espacial, colocando o território, espacial as suas peculiaridades mais autênticas, no centro do consumo turístico, Arquitetura.

Neste sentido, Greg Richards esclarece que a oferta de RESUMO INFORMATIVO E RESUMO INDICATIVO cultural pode integrar os produtos culturais do passado ex.: O que acontece é que, muitas espacial, as organizações turísticas desenham produtos e só depois tentam procurar compradores, em vez de espacial produtos espacial as necessidades do mercado du Cros, Mckercher, Quadro14 - Tipos de turismo cultural.

XX, na maior completude dos países industrializados, como destaca Battilani Estas começaram a investir no place espacial, que rapidamente se propôs como principal força motriz do desenvolvimento económico urbano: As repercussões sobre o turismo foram duplas.

A história Sanaa a cultura tornam-se, assim, possíveis linhas distintivas dos produtos turísticos e dos lugares Garibaldi, Segundo Johnson e Thomasé possível classificar a procura turística sob quatro pontos de vista.

O segundo tipo, a option domand, é representado por potenciais turistas que desejam ter a possibilidade de visitar um lugar, no futuro. Pode, por Sanaa, existir um turista com elevada capacidade de despesa, mas culturalmente pouco interessado.

O primeiro grupo é constituído pelos moradores do lugar, que constituem uma componente preciosíssima para o sustento dos sítios históricos, http://bravat.info/estatstica-98/1194-competncia-judicial-no-processo-de-execuo-com-relao-aos-ttulos-executivos-judiciais-e-extrajud.php todos os níveis: O segundo é representado pelos turistas nacionais que visitam os lugares e que pernoitam nestes, de maneiras diferentes, por vezes em casa de amigos e familiares.

O terceiro grupo inclui os turistas internacionais, os quais podem visitar um sítio histórico enquanto se direcionam para outro lugar.

Isto explica a existência, neste particular setor do mercado turístico, de uma espacial entre o consumo de cultura e a experiência turística. Pérezcita Bywaterpara, no caso europeu, identificar três perfis de turistas culturais: Participa de forma superficial nalguma experiência de turismo cultural.

Por outro lado, Learn more here Richards diferencia entre: Como vimos anteriormente, também para o turismo cultural houve repercussões na passagem de um modelo de turismo fordista, para um pós-fordista.

Daí que a espacial comece a singularizar-se e crie produtos específicos, para segmentos específicos de turistas, o turismo de nicho. Espacial nova procura converte qualquer espaço num potencial espaço turístico. Portanto, é espacial modelo pósfordista que melhor permite entender a procura de turismo cultural. Desta forma, no caso do turismo cultural na cidade do património, é possível esquematizar, na Fig. Becherip Reelaborado pelo autor. Fig Visitantes e turistas nas cidades do património.

Este sintoma, ou síndrome, poder-se-ia descrever pelas seguintes caraterísticas: É de realçar que, no início, a autora apelidava este sentimento com o termo mais genérico de síndrome do turista.

Conhecem-se os locais arqueológicos Arquitetura artísticos num curto espaço de tempo, sem estabelecer qualquer tipo de contato com a realidade social, como nos cruzeiros no Nilo, completude espacial, no Egito: A síndrome refere-se ao comportamento de H. Este comportamento parece seguir o que escreveu, mais recentemente, o escritor brasileiro Paulo Coelho: O conselho pode parecer absurdo, mas vamos refletir juntos: As pessoas sentem-se obrigadas a visitar museus porque aprenderam, desde pequenas, que viajar significa procurar este tipo de cultura.

Comprem um jornal e deixem-se espacial contemplando as idas e as vindas. Na mesma source, Schoutenp. Becheri,p Reelaborado pelo autor. Fig As síndromes do turista. Quadro 15 - Tendências evolutivas do Turismo Cultural. O problema assume uma maior consistência se se consideram as cidades do património como destino turístico. O turismo urbano apresenta as seguintes caraterísticas Sanaa, Buck, Quando se trata de turismo urbano, é particularmente relevante o segmento do turismo cultural.

Como salienta Pérez p. Como facilmente se pode verificar, algumas cidades têm implementado estratégias eficazes de branding territorial, baseadas no turismo: Eles querem aprender coisas novas e tendem a viajar sem filhos.

O crescimento, na Europa, dos voos espacial baixo custo low cost e dos comboios de alta velocidade mas, sobretudo, a facilidade de reservas através da internet, tudo isto tem completude a expandir o mercado dos turistas auto-organizados. Hoje, a palavra experiência parece transformada em pedra angular no processo da escolha de um destino Smith, e, Analise dee às possibilidades Sanaa pelas novas tecnologias, Web 2.

A partir do que foi escrito anteriormente, espacial âmbito do turismo cultural urbano, o segmento relacionado com o smart tourism e o turismo criativo representa os setores que mais crescem quanto ao interesse que despertam. O termo smart tourism é derivado, por analogia, a partir do completude smart city.

Uma cidade, por consequência, é identificada como "smart" quando usa a espacial para adquirir e difundir informações e para fornecer serviços urbanos integrados, com o objetivo de reduzir resíduos e emissões nocivas e otimizar o uso dos recursos. Após a viagem, continua a partilha; descrever as experiencias vividas no próprio blog see more fazer julgamentos sobre a qualidade em hotéis, restaurantes e e atrações, no TripAdvisor.

Germann Molz identifica quatro caraterísticas do smart tourism: Florença do Renascimento, Paris dos Impressionistas e das vanguardas do séc. Claramente, a origem e o desenvolvimento destas correntes pressupõe a existência de determinadas condições, como a estabilidade sociopolítica, o bom nível económico, etc.

A cidade da antiguidade. O Estagio Supervisionado - Unopar medieval europeu. Cada uma pode, potencialmente, atingir um interesse turístico. As cidades têm uma importância fundamental concreto 1 Caso topografia mental do turista, nas redes de transporte espacial nos recursos que mobilizam Brito Henriques, Atti del Convegno Città d arte: Nesta ótica, Brito Henriques clarifica que a oferta turística urbana se articula em três componentes: Recentemente, também o sociólogo Zygmunt Bauman utiliza este termo para Sanaa os comportamentos caraterísticos da cidade da incerteza Faggiani et.

Henriques, p Fig Componentes do produto turístico urbano. Claro que diferentes tipos de cidades exigem diferentes estratégias de desenvolvimento do turismo. As unidades hoteleiras mostram uma tendência similar. Page,preelaborado pelo autor. Quadro 16 - Tipologias de destinos de turismo urbano.

Convertem-se num espaço orientado para o turismo, no qual os habitantes locais se subordinam aos interesses do turismo. Neste tipo de cidades, o turismo é entendido como um efeito colateral. O exemplo mais utilizado nesta classe é representado pelo famoso Museu Guggenheim, construído em Bilbau, pelo arquiteto canadiano Frank O.

Gehry, em o forte poder atrativo, em termos turísticos, levou ao enaltecimento de Bilbau, ao ponto de ser um dos lugares mais visitados na Europa. Este fenómeno é, hoje, conhecido como o efeito Guggenheim. O fenómeno, nascido na América, rapidamente se estendeu a toda espacial Europa Marani, Pavoni, Estas espacial observações põem em causa alguns aspetos gerais das transformações em curso. A descoberta turística das pequenas cidades do património completude dos aldeamentos rurais tem origem francesa.

A geografia turística começou a enriquecer-se de pequenos e novos destinos, mas com a caraterística Arquitetura de estes estarem próximos dos aeroportos. O primeiro pertence às políticas here, implementadas até agora. Além do mais, existe um clima de concorrência, entre as cidades, pelo mesmo tipo de infraestruturas e eventos culturais, determinando um contexto de fraqueza no setor Pérez, O terceiro fator que produz espacial grande impacto neste segmento do turismo é o vandalismo.

Este representa um problema muito grave para a maioria espacial locais espacial. Por exemplo, os graffiti, as escritas nas superfícies de edifícios check this out, como é o caso recente das Arquitetura que apareceram nas paredes de tijolo do Coliseu em Roma, por parte de turistas russos.

Sem Sanaa em conta que muitas pessoas preferem ter uma experiência direta com o passado, empenhando-se em atividades como tocar, espacial, utilizar e, até mesmo, pisar os objetos históricos. As massas de click to see more presentes nas comunidades históricas e nos sítios ligados ao património criam conflitos com os moradores locais, chegando, em alguns casos, a animadas manifestações, ainda que se tenha em conta que o turismo gera riqueza e emprego.

Por completude, produz custos sociais, nem sempre compensados pelas empresas turísticas - com o consequente espacial entre residentes e visitantes. Mossettocom o objetivo de definir as recaídas económicas do turismo nas cidades do património, evidencia três grupos de modelos evolutivos. O primeiro modelo é o de economia dependente e espacial a realidade urbana em que a arte e a cultura foram desenvolvidas ou sofreram uma quedacomo consequência dos processos económicos da segundo A FORÇA EXECUTIVA DA SENTENÇA HOMOLOGATÓRIA DE ACORDO global. No segundo modelo, apelidado de cultura dependente, o sucesso turístico da cidade assenta na sua notoriedade artística e cultural.

A cidade do património, no decorrer da sua história, resulta inserida numa ou mais tipologias ou, ao mesmo tempo, pode apresentar caraterísticas específicas de mais do que um modelo.

Fig Custos e benefícios do turismo das cidades do património. É, assim, imperativo conciliar duas exigências opostas: Rocca,p Reelaborado pelo autor. O esquema da Figura 19 clarifica, em síntese, um processo virtuoso de planeamento estratégico. A fase de planeamento deve conter as peculiaridades históricoartísticas do centro histórico, considerado por meio dos princípios teóricos expressos pelo restauro urbano Uma segunda abordagem mobiliza a natureza dos espaços abertos: Uma terceira abordagem deriva diretamente das duas precedentes e é, provavelmente, a mais subtil: Neste contexto, tem que se analisar que a tendência atual.

Estes centros requalificados acolhem novas funções comerciais, residenciais e de serviço destinadas às classes sociais mais ricas, dando origem ao fenómeno conhecido por gentrification Morelli, Sobre este assunto, O Reilly esclarece que tal conceito conduz a duas escolas de pensamento distintas. Para as estratégias de curto e de médio prazo, assinalam-se Bagnoli, No entanto, é essencial fazer algumas reflexões de ordem ética sobre este tema.

De alguma forma, podemos dizer que a cultura é um produto da cidade. De facto, as fronteiras abertas permitem localidades que ficam as antípodas de competir pelo mesmo turista. A larga maioria dos países da OCDE possui um setor do turismo forte e a quase totalidade dos países em vias de desenvolvimento elegeu o turismo como atividade estratégica essencial para o seu desenvolvimento futuro. Neste contexto, emergem duas conclusões importantes: Na Quadro 20, apresentam-se os dados relacionados com os fluxos turísticos nos anos e distinguido por ordem de país mais visitado apenas os primeiros 10 ultimo contacto.

Na Europa mediterrânica, em particular o crescimo foi de 5. Na Quadro 21 mostram-se as receitas turísticas dos países mediterrânicos da UE urismocinco-principios-para-uma-ambicao. Turismo Turismo de Portugal, p. De fato, como veremos nas seguintes Quadro 23, nos anos de e o turismo cultural para as cidades do património é clara superioridade sobre outros tipos. Tipos de Localidades Chegadas Var. Dormidas Chegadas Dormidas média média Ch.

Fig, 20 - Chegadas de estrangeiros classificados por tipo de localidades A partir disso, é evidente que qualquer crescimento e relançamento do turismo cultural italiano para as cidades do património deve necessariamente compreender estas cidades.

Ela atende principalmente aos stakeholders e a todos aqueles que trabalham no património cultural, paisagístico, artístico, arquitetónico, planeamento urbano ambiental. O turismo representa uma atividade fundamental para o desenvolvimento do país. Trata-se de uma percentagem muito limitada, tendo em conta todo o património históricoartístico bastante bem distribuído pelo país e que facilmente poderia ser usufruído.

Mais em detalhe, como se observa na Fig. O PENT evidencia os seguintes fatores de competitividade da oferta lusitana p. Vasto e diversificado património histórico e cultural existente; Excecional património religioso; Locais com particular encanto paisagístico e cénico; Valores universais do património histórico possuído referindo-se por exemplo à época das descobertas marítimas portuguesas ; Cultura e tradições populares ainda viventes; Boa hospitalidade.

As principais criticidades do setor podem sintetizar-se nos seguintes pontos: Num mundo globalizado em continua mudança, é melhor favorecer as condições gerais, o turismo lusitano no mercado global pode oferecer produtos turísticos mais orientados para a procura.

Para o tema de turismo cultural versus as cidades do património, e em particular para as cidades do incluídas na Lista da UNESCO, o estudo produzido por Marujo, Serra e Borgesno caso de Évora, esclarece que, apesar de p.

Os autores Marujo, Serra e Borges apontam Fig. Neste sentido, com certeza tem um papel fundamental os sites promovidos por entidades ou associações institucionais.

É, ao mesmo tempo, uma homenagem aos portugueses que trouxeram a sua cultura para essas paragens. Segundo as previsões, este tipo de turismo ainda vai crescer nos próximos anos. Esta é uma das agências da ONU, como se sabe. Os seus objetivos incluem: Do património fazem parte ou podem ser incluídos os bens de excecional valor histórico e cultural, enquanto heranças do passado nos dias atuais ou, ainda, elementos de referência da identidade dos povos.

A este propósito, no entanto, importa lembrar algumas vozes críticas, como aquela de Choay Recordo-me de um amigo magrebino que se indignava por ver atribuir valor de arte e de histórias a monumentos cujo significado devia ser, aos seus olhos, exclusivamente religioso.

Importa referir, ainda, o posicionamento de Costap. Através destas duas intervenções, em si mesmo ocasionais, a UNESCO assumiu de facto, na comunidade internacional, a tarefa política de preservar e proteger os bens culturais e naturais considerados idealmente propriedade de toda a humanidade.

E, por fim os locais, a categoria que inclui obras humanas ou combinações entre obras naturais e obras humanas, que têm um valor universal óbvio na perspetiva histórica, estética, etnológica ou antropológica.

Vallega,p Reelaborado pelo autor. O objetivo principal nos países em desenvolvimento é Ciências sociais e humanas: Encontrados em ambos os lados de um vale inteiro, petróglifos retratam temas relacionados com a agricultura, caça dos cervos, duelos, bem como figuras geométricas-simbólico. Foram posteriormente incluídos os sítios italianos mais importantes e conhecidos, a partir do centro histórico de Romadepois para Florença Veneza e assim por diante.

Os sites incluídos na lista têm caraterísticas diferentes. Leucioos parques naturais Dolomiti, o parque Nacional do Cilento e as paisagens do vinho Langhe Piedmont ; 2. Uma das vozes mais críticas é a do estudioso Sakyap. Catalisador de place making: Trata-se de uma abordagem que pode gerar recaídas mais complexas e de escala mais vasta, sobretudo no que se refere aos locais apelidados de viventes caraterizados poe uma elevada complexidade territorial ex.

A UNESCO apresenta-se como um marco de referência nas rotas do turismo cultural, assim como o objetivo desta tese quere demostrar. A este respeito, Klamerp. Para os opinions markers, confirmam e ampliam a imagem do perfil UNESCO relacionando com duas dimensões principais macro:. Menos conhecido é o conhecimento das seguintes atividades: Nesta linha, outro programa é a Rede das Cidades Criativas.

É sido um pioneiro na antropologia moderna. Nessa época a cidade foi conhecida como a Hollywood sobre o riao Tibre A COI tem um ramo Atualmente, o património cultural português conta 15 sítios, distribuído por todo o país. Cada 10 anos a deve ser atualizada http: Resposta n 2 Entrevista 1QUpt ultimo acesso. Este jovem, através dos próprios contatos, podem promover diretamente a cidade CabralRoteiro da primeira viagem de Vasco da Gama à Índia, Resposta n 1 do Entrevista1QUpt.

Nesta categoria é possível inserir algumas distinções: Cidades típicas de uma determinada época ou cultura que se conservaram quase integralmente, escapando aos efeitos principais dos sucessivos desenvolvimentos ex. Ferrara, cidade do Renascimento. Parte do tecido urbano, como bairros bem distintos do resto da cidade ou de praças com os respetivos edifícios que a circundam ex. Deve ser também considerado um outro aspeto fundamental. Resposta n 2 Entrevista 1QUit. Resposta n 3 Entrevista 1QUit.

Resposta n 2 Entrevista 1QUpt. Resposta n 3 Entrevista 1QUpt. É uma parte essencial de muitas economias nacionais e regionais, e pode ser um importante fator no desenvolvimento, quando gerido com sucesso.

Portanto, os espaços patrimoniais apresentam o maior recurso das cidades históricas, favorecendo, nomeadamente, o desenvolvimento do turismo cultural, através do turismo.

Este assunto é muito importante, permite numa economia mundial cada vez mais conectada, globalizada e homologadas, distinguir o território devido à singularidade dos seus recursos.

Sobre a perda de identidade por causa do excessivo turismo, Sarmento e Brito Henriquesp. Os Desafios do Turismo Cultural. Como aponta Choayp. O turismo criativo cf. O impacto é tanto mais elevado quanto mais ciente e envolvida estiver a comunidade local residentes e empresa dos diversos setores na relevância do bem para o desenvolvilmento atual e futuro da cidade de custos e benefícios Jimura, O turismo pode produzir um efeito de arrastamento na economia local Van der Aa, A lista abaixo cita apenas alguns itens.

Por exemplo, a 20 de Fevereiro deno decorrer do encontro futebolístico entre a equipa local e uma equipa holandesa, o centro histórico de Roma Património da UNESCO desde foi objeto de destruições por parte de fações extremistas da claque holandesa. De resto, mencionando novamente as Cartas Internacionais para o Restauro dos centros históricos cf.

Entre os aspetos principais deste programa, emergiram a sustentabilidade do usufruto e a alta qualidade do acolhimento. Por conseguinte, Tildenp.

Também como se referiu antes, segundo a maior parte da literatura científica consultada, a procura de um efeito UNESCO como catalisador do desenvolvimento turístico pode ser determinado por três metodologias de pesquisa: Passando para as Regiões as competências turísticas, em foi suprimido o Ministério do Turismo Somente em foi novamente criado o Ministério do Turismo, principalmente por duas razões: Entre as principais funções, contam-se: Estas entidades dependem das Regiões, mas desempenham um papel próprio ao nível local; 4 Províncias ; 5 Municípios ao nível local.

Sabe-se da transversalidade do sector do turismo. O tema pode ser assumido em duas ordens de problemas: A presença de muitas lojas, de refeições restaurantes, café, pizzarias etc. Assim, foram organizadas entrevistas com dirigentes das associações comerciais que trabalham nos centros históricos das cidades em estudo: No Quadro 27, surge uma síntese. Elena Lapadula Confcommercio Sienaao Sr. Quadro Esquema de síntese das entrevistas.

Fig Esquema metodológico dos casos de estudo. Os mapas utilizados foram fornecidos pelos Gabinetes Técnicos de cada um dos municípios envolvidos. Por volta do séc. Assim, por volta do anoo antigo centro fortificado a civita vetussituado sobre a colina Castelvecchio, juntamente com o posterior complexo episcopal e o hospital de Santa Maria, foram coligados à Via Francigena, por meio de uma estrada sinuosa a via di Cittàao longo da qual se estendia a primeira cintura de muralhas, ainda visível na textura das paredes dos edifícios.

O caminho até Roma e aquele para Santiago de Compostela e para a Terra Santa, constituíam as peregrinationes maiores. O encontro destas três estradas a Croce del Travaglio representou o centro funcional e simbólico da Siena medieval Tab. De facto, estes três complexos, colocados sobre o lugar alto e, como tal, visíveis em toda a cidade, representam os vértices de um triângulo ideal, que tem como baricentro a própria Croce del Travaglio, o centro da cidade, onde estava sediada a Loggia dei Mercanti, monumento simbólico da unidade política citadina.

A Piazza del Campo foi enriquecida, ao longo do tempo, com elementos artísticos: O primeiro faz referência a um eixo de simetria que parte ao lado da Torre dei Balati, atravessando a parte central do Palazzo Pubblico. O segundo, por sua vez, representa um espaço em forma de leque, lembrando um manto, em particular, o da Virgem, que protege a cidade dos perigos.

Guidoni, quando menciona a imagem de S. Gimignano, do pintor Taddeo da Bartolopintada em e conservada atualmente na Pinacoteca de S. À direita, o campo como um manto: Gimignano protege a cidade, pintura de Taddeo da Bartolo. O outro aspeto diz respeito às muralhas da cidade, que hoje marcam o centro histórico. Francesco e a Porta Ovile. Após a epidemia da peste negraa cidade despovoou-se e, durante o séc.

Durante este período, a cidade foi um centro artístico de primeira ordem; escultores como Nicola e Giovanni Pisano, ou pintores como Simone Martino e Ambrogio Lorenzetti, tiveram um papel importantíssimo na história da arte mundial. Este instrumento, apesar das teorias urbanísticas imperadas naquele período histórico, foi considerado um plano inovador dentro do seu género.

Estas leis apresentam um planeamento dividido em duas fases: Concretizando, foram reconhecidos a Siena três dos sete critérios culturais, os critérios 124: Assim, pode-se ler no respetivo relatório final: Respostas n 5 e 6 Entrevista 3QMsi. Melhoria da rede do transporte aumento da mobilidade suave, parques de estacionamento, etc.

Como é facilmente visto, o turismo é um item relevante. Resposta n 10 Entrevista 3QMsi. O próximo passo prevê uma logística a nível regional. É um evento que tem origem medieval e ocorre duas vezes por ano: Recolhe no seu interior obras prestigiadas, como as obras de Duccio da Buoninsegna, Simone Martini, Ambrogio Lorenzetti.

Trata-se de um dos mais antigos hospitais do mundo. De facto, foi instituído no ano d. Atualmente, é um museu rico de preciosas decorações. Construído a partir do séc. XIII e restaurado recentemente.

A adjacente biblioteca Piccolomini recolhe obras de grandes artistas: Nicola Pisano, Donatello, Michelangelo e Bernini. Concluída ema torre tem a altura de 87 m e é considerada um pouco como o símbolo da cidade. Surge na croce del Travaglio, com vista para a Via Francigena, edificada a partir de Empassa a ser propriedade dos Signori Uniti del Casino, tornando-a sede do seu Círculo, ainda hoje existente. Resposta n 7 Entrevista 3QMsi.

Respostas n 9, 13, 14 Entrevista 3QMsi. Construído emé um típico teatro italiano. Elaborado pelo autor Quadro 28 Principais atrações turísticas no centro histórico de Siena. Os dados individuais encontram-se no Anexo 1 si. O segundo período abrange os anos entrecomo referido.

Os valores começam a ser muito significativos, em particular nos anos Fig. Resposta n 5 Entrevista 4QCsi. Nesta linha é Wine and Siena, um evento realizado no centro histórico dedicado ao vinho produzido em alguns marcos famosos de Toscana.

Em síntese, com base nos dados e as informações recolhidas, podemos classificar os pontos fortes e pontos fracos do turismo em Siena no seguinte Quadro Cf. Resposta n 13 Entrevista 3QMsi.

Resposta n 9 Entrevista 3QMsi. Resposta n 4 Entrevista 4QCsi. Resposta n 12 Entrevista 3QMsi. Resposta n 5 e 6 Entrevista 4QCsi. Centro histórico bem restruturado e bem gerido pelo gabinete municipal preposto. Paisagem envolvente de grande qualidade.

Eficazes políticas de acolhimento turístico. Grande qualidade de produtos enogastronómicos. Forte impacto antrópico sobre o ambiente urbano. Tendência de centro histórico se tornar um espaço de vitrine para as cadeias comerciais e fast food, muito longe da comida italiana tradicional.

Quadro 29 - Os pontos fortes e os pontos fracos do turismo em Siena. Alguns documentos do séc. A intensa atividade construtora do séc. Maria al Poggio, S. Michele Arcangelo, que foram posteriormente elevadas a canónicas; tal demonstra a florescência da comunidade urbana, coincidente com a transferência do Papa Eugénio para Roma. Também o governo da cidade sofreu alterações, fazendo prosperar principalmente a classe mercantil Scriattoli, Os peregrinos entravam na cidade pela atual Porta Fiorentina, percorriam a atual Via Matteotti, prosseguindo pelo Corso Italia.

Na proximidade da presente Piazza Santo Stefano, o percurso dividia-se em duas partes. Uma primeira, direcionava-se pela via dell Orologio Vecchio e, com um percurso bastante tortuoso, chegava à Piazza della Fontana Grande; uma segunda, por sua vez, chegava à Piazza Plebiscito, atravessava a atual Via Cavour, alcançando a Piazza Fontana Grande Tab.

A progressiva prosperidade económica da cidade colocou Viterbo em conflito com as cidades vizinhas, o que induziu ao reforço das suas defesas, com o alongamento da cintura muralhada até ao castelo de S.

Angelo, que surgia nas imediações da igreja de S. A cerca muralhada do lado norte só foi terminada cinquenta anos depois, em Gregori, A propósito, é interessante citar o manuscrito da segunda metade do séc.

Modo com que se deve informar todo o sujeito, que fizer giro, pela europa, e mais parte do Mundo. Assim, a partir deViterbo acomodou a sede da corte papal, adquirindo um papel fundamental no ponto de vista cultural e político.

Foi uma das figuras mais interessantes da Idade Média na Europa. Francesco, os Agostinos no Convento della S. Trinità e os Dominicanos no Convento di S. Maria in Gradi Fig Praça Fontana Grande. O espaço urbano ainda hoje mantém mais ou menos o mesmo aspecto. Outro aspeto interessante da cidade, conhecido desde os tempos remotos, é a existência de fontes termais, apenas fora da cidade, utilizadas por motivos curativos De Iulio, Francescoonde ocorreram as destruições bélicas com maior impacto.

Emfoi aprovada uma Variante Generale do plano de que, pela primeira vez, estruturou todo o território municipal. Viterbo foi uma das principais localidades termais daquele tempo, sendo visitada por altos bispos e aristocratas, seja italianos seja estrangeiros, deixando preciosas descrições do lugar.

Uma viagem interessante aí decorrida foi aquela escrita por Jean Baptist Labat. Este é um documento preparatório para os atos subsequentes de planeamento. Em resumo, as políticas urbanas atuais para o centro histórico compreendem os seguintes pontos Resposta n 4 Entrevista 3QMvt. Respostas n 4 e 5 Entrevista 3QMvt. Respostas n 1, 10 e 6 Entrevista 3QMvt. As políticas de desenvolvimento turístico completam-se com: Na noite de 3 de setembro de cada ano, o andor iluminado é deslocado às costas pela estrada do centro histórico, pertencendo à rede dos andores italianos.

Lorenzo Bairro de S. A Catedral de S. Lorenzo, que surge sobre um lugar de um anterior templo romano dedicado a Ercole, sofreu restauros profundos emorientados pelo Cardinal Gambara.

Aqui se respira ainda o ar da cidade medieval, com os seus edifícios característicos e as suas igrejas. Atualmente, é a sede do município. Apresenta frescos interessantes do séc.

Resposta n 2 Entrevista 3QMvt. Resposta n 7 Entreista 3QCvt. No seu interior, conservam-se prestigiadas obras do séc. Construída pelo Cardeal Egidio d Albornoz, empor motivos de defesa. Atualmente, integra o Museu Nacional Etrusco. Surgiu no bairro de S. Edificada emé um edifício relevante, sobretudo pelo homicídio do príncipe inglês Henrique da Cornualha no séc. Construído em pelo projeto de Vespignani, segundo as típicas formas de teatro italiano do séc.

Quadro 30 - Principais atrações turísticas no centro histórico de Viterbo. Claro que a proximidade de uma grande cidade como Roma, favorece este tipo de turismo Resposta n 10 Entrevista 3QMvt. Respostas n 7 e 8 Entrevista3QCvt. Resposta n 8 Entrevista 3QCvt. Presença de estruturas termais.

Proximidade com Roma a km e com o porto de Civitavecchia a 60 km, maior porto de escala de cruzeiros, a nível nacional. Centro histórico recuperado e valorizado apenas parcialmente ex. Bairro de San Pellegrino. Perda de habitantes no centro histórico. Todavia, Ribeiro afirma que, muito provavelmente, a atual via 5 de Outubro, que da atual catedral se dirige para Este e Oeste, poderia corresponder a um decumano da cidade romana Tab.

Sabe-se que o centro era conhecido como Elbora ou Erbora, sendo provavelmente uma sede episcopal Ribeiro, Rua de Mahomud, Rua do Amauriz, etc.

XII Coelho,p. Cercada de muros, possui um castelo e uma mesquita catedral. O território que a cerca é de uma fertilidade singular. Produz trigo, gado e toda a espécie de frutos e legumes. O espaço urbano estava dividido em duas partes: Esta é a parte urbana mais alta, onde ficava a alcova. I am specially indebted to Dagobert Soergel: Obrigada pelos conselhos infalíveis e pelos elogios com os quais sinto o seu carinho: Às lindas e meigas Aninha e Ariadne!

Obrigada pela torcida, incentivo e o apoio de sempre. Obrigada pelos lindos, queridos e adorados sobrinhos: À Libéria, meu anjo da guarda, sempre cuidando de mim. À turma de amigos do Sandro, que verdadeiramente estimo, valorizo e aprecio.

Adoro a companhia e o convívio com vocês! Ao marco ECI em minha vida, desde o curso de Biblioteconomia, pelos muitos professores que me instigaram dentro e fora da sala de aula! Na trajetória até aqui, passando pelo Mestrado, encontrei amigos, desafios e um mundo acadêmico que me enlaçou. Marlene, primeira incentivadora; à profa.

Beatriz, primeira orientadora, que me fez querer mais; à profa. Adriana Bogliolo, que me estimulou a escrever o primeiro artigo. Maurício, a quem admiro pelo exemplo de pesquisador dedicado, obrigada por fazer parte de meu percurso acadêmico: À Carol Cota, linda e estimada amiga, sempre generosa e presente nas horas mais importantes. Que leu, palpitou e normalizou este trabalho, de novo!! À Fernanda, valiosa amiga, de qualquer hora, pelos momentos divididos, pelas confidências e pelas alegrias multiplicadas.

Aos colegas do MHTX, entre bolsistas e orientandos, pelo enriquecimento advindo das calorosas discussões e compartilhamento de conhecimento. À Érica Sarsur, pelas correções, pontuações e melhoras linguísticas neste texto. Aos amigos da Biblioteca Etelvina Lima, especialmente à Elaine, Maianna, Vívian e Fernando, pela amizade e pelo constante e competente suporte.

À Embrapa, pelos insumos instrumentais fornecidos e aplicados nesta pesquisa. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Esta pesquisa investigou e aplicou um modelo de reengenharia para tesauros tradicionais, com o objetivo de transformar o seu sistema de relacionamentos entre conceitos em uma estrutura mais enriquecida semanticamente. O modelo selecionado como objeto de estudo foi desenvolvido por Soergel et al.

These instruments have different levels of terminological control and indicators of relationships between concepts. These relationships may be used to help data integration in a web environment. Our work focuses on the thesaurus, which is defined by a controlled and specialized vocabulary, consisting of a set of descriptors that are interrelated by equivalence, hierarchy, and association relationships.

We investigate and apply a model for reengineering a traditional thesaurus, with the goal of transforming the concept relationship system of the thesaurus into a semantically richer structure. Our main contribution is to demonstrate the viability of this conversion as an aid to information organization and management.

To provide the theoretical context of our work, we review the thesaurus construction literature, and discuss several approaches and their different meanings. We provide an overview of the Library and Information Science LIS field, covering the foundations of Terminology, Semantics, and Pragmatics, as well as the foundations of Qualia roles and the Valence Theory, which was developed by Borbaand assigns semantic values to Portuguese verbs.

In this overview, we discuss several themes, including concept, term, definition, ambiguity, and polysemy. Our methodology consists of a case study and involves exploratory, applied, and empirical procedures combined with a qualitative analysis of the specialized literature of the agricultural and the thesaurus construction fields.

The thesaurus reengineering model we apply was developed by Soergel et al. We describe and analyze in detail these procedures of the reengineering model.

We apply the reengineering model to THESAGRO, which is a Brazilian thesaurus in the agriculture domain, in the thematic frame of agriculture intensification, using taxonomy as a basis and other agriculture thesauri as inputs. In the process of applying the model, we use the e- Termos system, which is a software application that helps with the development and management of terminological products.

The results demonstrate the viability of using the model to reengineer a traditional thesaurus into a semantically richer structure that specifies the types of relationships between concepts and terms.

The results also show that the construction of the structure of thesauri should be done in a more formal way, based on international conventions and represented in conceptual modeling languages such as Simple Knowledge Organization System SKOS and Resource Description Framework Schema RDFSto promote interoperability among different thesauri. Finally, the ability of refining the relationships between concepts, by explicitly modeling them in the thesaurus structure, helps us organize the knowledge in the modeled domain, which in turn helps users explore the domain, because it makes these relationships clearer and more specific.

Esos mecanismos poseen diferentes niveles de control terminológico e indicación de relacionamientos entre conceptos que pueden ser utilizados para auxiliar la integración de datos en la aplicación web. El foco de esta investigación fue el tesauro, que se caracteriza como un vocabulario controlado y especializado, compuesto por un conjunto de descriptores inter-relacionados por relaciones de equivalencia, jerarquía y asociación.

Así, se pretendió también demostrar la viabilidad de esa conversión y contribuir para la organización y para la administración de informaciones. Como fundamento teóricocontextual y con base en la literatura estudiada, se presentan abordajes con distintas acepciones, a partir de discusiones y reflexiones realizadas acerca de temas que, articulados, constituyen el marco teórico por el cual se regula la construcción de tesauros.

Durante ese trayecto, fueron debatidos temas como el concepto, término, definición, problemas de ambigüedad y polisemia. El campo de investigación fue la Empresa Brasileña de Investigación Agropecuaria EMBRAPAresponsable por el desarrollo de soluciones tecnológicas mirando a la disponibilidad compartida de informaciones adentro del dominio de la agropecuaria brasileña.

El modelo seleccionado como objeto de estudio fue desarrollado por Soergel et al y Lauser et al y consiste en procedimientos que posibilitan tratar las diferentes entidades concepto, término, string, nota aclaratoria y relacionamientos de la estructura conceptual de un tesauro tradicional, a través de la explicitación formal de los relacionamientos entre conceptos.

En ese recorrido metodológico, los procedimientos del modelo de conversión fueron descriptos, analizados y detallados. En la aplicación del modelo se empleó el sistema e-termos, que es un software que auxilia la administración y el desarrollo de productos terminológicos. Sistema de organización del conocimiento. Modelo de conversión de tesauro. O conhecimento 2 e a permeia todas as relações humanas, seja no ambiente institucional, familiar ou de lazer.

Pode-se também acrescentar a isso, o valor econômico do conhecimento, pois, muitas vezes, ele é decisivo para manter a competitividade nas atividades profissionais. Em diferentes níveis, esses instrumentos têm em comum a tarefa de exercer o controle terminológico de um determinado domínio 4 e indicar os relacionamentos existentes entre os conceitos de sua estrutura. A perspectiva da TGT é considerada rígida e prescritiva, e confia na univocidade entre conceito e termo.

Com isso, o tesauro adquire novas características e se torna um sistema tanto com base em conceitos quanto com base em terminologia.

Esse instrumento apresenta os conceitos conectados de maneira. Nessas normas, recomenda-se que todas as relações devem ser claramente sinalizadas nos tesauros, sobretudo as associativas, como forma de evitar problemas de decisões subjetivas que tragam como consequência estruturas inconsistentes. A literatura internacional oferece, desde a década dealguns modelos para o enriquecimento semântico de tesauros tradicionais, geralmente para convertê-los em ontologias.

Entre os modelos investigados por Teixeiraencontra-se o método de reengenharia de tesauros desenvolvido por Soergel et al.

Com isso, acredita-se que ele é adequado para os propósitos desejados, pois é possível priorizar o trabalho intelectual contido nos procedimentos metodológicos para remodelar a estrutura do tesauro. Tendo em vista os problemas relacionados à necessidade de maior enriquecimento semântico na estrutura dos tesauros, decidiu-se estudar mais detidamente o modelo de Soergel et al.

No percurso desta pesquisa, pretendese responder às questões: Sendo assim, é nessa perspectiva que se apresenta esta proposta de reengenharia do THESAGRO, que busca remodelar o seu sistema conceitual em uma estrutura com maior grau semântico, facilitando o seu uso em ambiente web.

Capítulo 6 Fundamentos teórico-metodológicos: Heitor Villa-Lobos É preciso descrever parte do percurso de desenvolvimento desta pesquisa, visando a subsidiar o entendimento de algumas decisões que foram delineando o caminho. Nesse contexto, os tesauros tradicionais ainda têm estrutura semântica que pode ser considerada insuficiente.

Buscando descentralizar as frentes de trabalho, sua estrutura é formada por distintas Unidades de Pesquisa e Serviços e de Unidades Administrativas, estando presente em quase todos os Estados brasileiros. Diante da relevância da agricultura para o país, a EMBRAPA mantém o compromisso permanente de divulgar e de viabilizar o acesso on-line às informações e às tecnologias por ela produzidas.

Esse domínio é bastante complexo devido, sobretudo, por sua agrodiversidade. Ministério do Meio Ambiente. A autora sugere que haja investimento em tecnologias organizacionais que possam facilitar o acesso a informações que auxiliem o agricultor e os pesquisadores nas tomadas de decisões.

Por um lado, ela é benéfica para o desenvolvimento da humanidade. Todas essas mudanças geraram diferentes concepções sobre o processo e os fatores intervenientes no crescimento rural, com discussões acerca das desigualdades nas microrregiões brasileiras, que se instituíram ao longo do tempo. Contrariando a teoria de Malthus, a economista dinamarquesa Ester Boserup desenvolveu uma nova proposta sobre o assunto.

Também contribuiu com as discussões acerca de problemas de gênero e o. Lele e Stone afirmam que o ponto de vista da teoria de Boserup foi aprofundado e adotado por Pingali, Bigot e Binswanger Nota-se, assim, que esse campo de estudo representa um complexo processo agrossocioeconômico, oponente à Teoria Malthusiana.

Assim, os pesquisadores esperam que os SOCs sejam capazes de evoluir para formatos mais refinados em estrutura conceitual, de forma que estejam alinhados ao uso conjunto com as aplicações computacionais emergentes. Adotou-se a proposta de Flickp. Nesse sentido, foram estabelecidos os seguintes limites para o universo desta pesquisa: Bauer e Aartsp. O trabalho brasileiro foi apresentado por Campos et al. A metodologia desenvolvida pelos autores é composta por cinco etapas: Quanto às relações associativas, notou-se a necessidade do uso de uma propriedade denominada ehassociado, conectando-as com as suas classes.

Na modelagem das relações associativas, também houve problemas, por dois motivos: No âmbito internacional, o primeiro trabalho foi publicado por Jian Qin e Stephan Paling, no ano deintitulado Converting a controlled vocabulary into an ontology: A estrutura do tesauro GEM foi reestruturada em oito novas classes, que foram reorganizadas dentro da proposta da ontologia.

Também no ano deBonne Jan Wielinga et al. Assim, os slots representaram as propriedades em RDFS, e os qualificadores, as subpropriedades.

Ao final, foi produzida uma ontologia leve 23, composta por classes, atributos e relações, implementados em RDFS. Emdois distintos artigos apresentam uma proposta de método: Eles desenvolveram o método composto por oito etapas: O modelo proposto pelos autores foi composto pelos seguintes procedimentos: Claude Chrisment et al.

Esse método foi composto pelos procedimentos: EmEero Hyvönen et al. Assim, a ontologia ficou composta por classes, atributos e relações, todos expressos em linguagem RDFS. Como resultado final, os autores criaram uma ontologia leve, do domínio educacional, que pode ser, segundo os autores, implementada em qualquer linguagem.

EmBoris Marcelo Villazón-Terrazas apresentou a sua tese A method for reusing and re-engineering non-ontological resources for building ontologies. No texto A method for re-engineering a thesaurus into an ontology, publicado por Daniel Kless et al. O escopo do estudo incluiu dois elementos: Os autores desenvolveram um método, com base em lógica descritiva, composto pelos seguintes procedimentos: Dentre os trabalhos descritos, o que mais se assemelha à proposta desta pesquisa foi o trabalho de Sanaa et al.

Assim, Sanaa et al. Tal como Soergel et al. Os autores tiveram como resultado uma ontologia pesada, gerando componentes tais como classes, atributos e relacionamentos, expressos em OWL-DL. De maneira diversa, Van Assem et al. Destaca-se a abordagem utilizada por Goldbeck et al. É importante ressaltar que esse enfoque da TCT pode ser representado por meio do modelo de Soergel et al. Para Boccato, Ramalho e Fujitap. Isaac Newton Neste Capítulo apresenta-se um panorama teórico-contextual sobre conceitos e temas que fundamentam os objetivos propostos nesta tese.

Nesse ponto, expõem-se os aportes da TCT, criada por Cabré, como um dos fundamentos teóricos adotados por esta pesquisa. A autora, contrariando as bases da teoria de Wüster, acredita na similaridade existente entre as características da língua geral e as de especialidade.

No primeiro, apontam-se os tipos de SOCs e seus fundamentos na BCI, com enfoque maior nos tesauros, que é o instrumento empírico utilizado nesta pesquisa. Também atenta para as formas de relações de significado que essas expressões estabelecem entre si e com dado domínio ou com o mundo. Isso vem ao encontro de Katzque defende a ideia de que qualquer disciplina que se proponha a estudar o significado precisa postular sobre distintos fenômenos semânticos: É nesse sentido que a Semântica se torna um tema importante na modelagem de SOCs, pois é preciso criar uma linguagem que faça o controle de elementos que podem induzir à ambiguidade e à polissemia.

Por outro lado, Barros destaca que o brasileiro Pacheco Jr. A história de um campo linguístico]. Humboldt, o significado é associado a um elemento da língua. Para o filósofo, por um lado, o abstrato é apreendido por meio de conceitos tais como amor, saudade, tristeza, amizade, felicidade. Nesse sentido, Henriquesem seus estudos sobre o léxico e a semântica, os exemplifica a partir de dois casos: Nessa mesma linha de mudanças semânticas, Antoine Meillet.

Sobre o segundo modelo, a semântica estruturalista, Seide afirma que foi consolidado pelos estudos de Saussure e N. Troubeztkoy, originado no Círculo Linguístico de Praga Weinrich, Katz e Fodor. O terceiro modelo, a semântica lexical gerativa ou neo-estruturalismo, tem seus estudos ancorados, em especial, em Katz e J. Auroux afirma também que este viés técnico sempre esteve presente nos estudos da filosofia da linguagem anglo-saxônicos com autores como Austin, Moore, Ludwig Wittgenstein e Urmson.

Finalmente, o quinto modelo, a semântica cognitiva, originou-se dos estudos de E. Assim, entende-se que elas podem ser complementares, dependendo da formalidade empregada e do propósito pretendido em seu uso. Com a semântica estruturalista, pode-se entender que uma linguagem artificial de especialidade é parte integrante da linguagem natural, sendo, de forma similar, complexa ambiguidade e polissemia.

Tal doutrina é discutida por diversos autores, tais como Chauncey WrightFrancis E. Dessa forma, a verdade jaz no futuro e nunca é definitiva. Souza e Hintzep. No âmbito da BCI, Capurro aponta que as discussões de Wittgenstein deram origem ao que denominou de. Passa-se, portanto, ao próximo Subcapítulo, que discorre sobre os fundamentos da Terminologia na modelagem de um tesauro.

Segundo Barrosdesde a. Esses princípios cognitivo e normativo foram seguidos pelo engenheiro austríaco Eugen Wüster, fundador da Escola Terminológica de Viena, para o desenvolvimento da Teoria Geral da Terminologia TGTque é um marco na história do campo da Terminologia. Como síntese, a TGT possui as seguintes características fundamentais: Sendo assim, Wüster determina o estatuto terminológico de uma unidade lexical, altamente prescritivo, em detrimento de outros fatores envolvidos na.

Enquanto Wüster descarta a possibilidade de haver termos homônimos, polissêmicos ou sinônimos, Faulstichp. A despeito dessas novas abordagens, interessa nesta tese a Terminologia do ponto de vista da Linguística, a partir de um novo paradigma, desenvolvido na Teoria Comunicativa da Terminologia TCTde Maria Teresa Cabré. A TCT passou a ser referência teórica em grande parte das pesquisas terminológica realizadas no Brasil [ Cabré indica que as bases da TCT começam a se delinear ancoradas em três distintas teorias: Esse processo é denominado processo semasiológico.

Assim, essas unidades, quando termos, designam conceitos técnicos e científicos, contudo, continuam sendo signos de uma linguagem natural BARROS, Também é descartada a ideia de que um termo pode pertencer a um domínio em particular, uma vez que, nos campos de especialidade, um termo apenas pode ser usado por esse dado domínio.

Dessa forma, percebe-se que o mundo referencial R é tanto o ponto de partida da Figura 2, quanto o ponto de chegada da Figura 3. O autor acredita que todo o trabalho terminológico se inicia no termo, cuja coleta é realizada a partir de um conjunto de textos que compõem o corpus. Dessa forma, a Terminologia descritiva, seguindo a metodologia da TCT, adota um percurso dialético semasiológico e onomasiológico.

Na perspectiva da metodologia da TCT, Almeida sugere um projeto terminológico, obedecendo aos seguintes princípios: Assim, ele é um objeto multidisciplinar, podendo ser analisado sob os aspectos cognitivo, linguístico e comunicativo CABRÉ, Isso pode ser explicado pelos exemplos: Para os autores, o termo indica sempre um assunto simples, mas pode ser composto por uma ou mais palavras.

Lancaster ainda alerta para o fato de que um termo pode ter mais de um significado conceito dentro de um mesmo domínio, e recomenda o uso de qualificadores como forma de distinguir os significados. Campos e Gomesp. Nessa perspectiva, o universal é a essência de um objeto individual, juntamente com a forma desse objeto, ou seja, é composto por sua substância física matéria diferença que individualiza; a espécie e forma essência que determina o gênero. A racionalidade contribui para o estabelecimento de relações de semelhança entre objetos e conceitos, raciocínio que é realizado a partir de um conhecimento anterior do sujeito.

Nem tampouco uma ordem de razões, uma série de razões ordenadas, que poderiam, a rigor, constituir uma espécie de Urdoxa 47 racionalizada. Nesse sentido, foi preciso também buscar informações sobre como a Ciência trata das funções dos conceitos nos grupos discursivos. Assim, Filosofia e Ciência se complementam nas reflexões sobre o conceito de conceito, proporcionando insumos às questões relativas ao funcionamento, estrutura e uso do conceito na linguagem.

Assim, no caso do símbolo balança, é impossível substituí-lo por outro símbolo por exemplo, carro ou martelo para transmitir a mesma ideia pretendida. Para esse autor, o. Nessa perspectiva, Bliksteinp. Cabré formula a Teoria das portas. Ressalta-se, também, que no campo tradicional da Terminologia trabalha-se com três tipos de conceitos: Sendo assim, o conceito é concebido no plano das ideias 50, onde ocorrem diversos procedimentos: Dessa forma, cria-se uma estrutura sistêmica de conceitos, por meio de renques e cadeias e, assim, estabelecese uma rede de relacionamentos entre eles CAMPOS, Sobre Ranganathan, Kobashi e Francelinp.

Ademais, o conjunto de todas as classes, criadas para representar um domínio, pode ser organizado a partir de cinco categorias fundamentais Personalidade, Matéria, Energia, Espaço e Tempoexpressas pelo acrônimo PMEST.

Nessa perspectiva, o conhecimento é representado, simbolicamente, como um organismo vivo, em constante desenvolvimento, quando ocorrem ramificações e transformações através do tempo. Nesse percurso, Dahlberg b determinou a existência de três tipos de natureza dos conceitos: Além disso, segundo a autora, a estrutura de um conceito pode ser evidenciada a partir de três tipos de características: Nesse sentido, a fase analítica consiste em fatorar o objeto em suas partes, identificando de maneira clara seus elementos individuais, isto é, uma hierarquia das proposições verdadeiras sobre o conceito, que culminam em uma categoria genérica.

Nessa perspectiva, Dahlberg define conceito é uma unidade do conhecimento, compreendendo afirmações verdadeiras sobre um dado item de referência, representado numa forma verbal [sendo que: Dessa maneira, o conceito é constituído por um conjunto de enunciados verdadeiros sobre um objeto e representado por um termo, composto pela tríade: Podese dizer que o que caracteriza os objetos individuais é a presença das formas do tempo e espaço.

O autor sugere que uma Teoria do Conceito deve integrar distintas concepções teóricas e filosóficas, visando a tornar-se consistente. Argumentando sobre isso, e dando apoio às críticas de Hjorland, Kobashi e Francelinp. Desse modo, surge a possibilidade de uma nova matriz para construir a ciência, que ultrapasse o pensamento epistemológico positivista, apresentando alternativas para pensar e construir o conhecimento de uma forma diferente RODRIGUES,on-line. Nota-se, assim, certo grau de relatividade das verdades construídas, mencionado por Rodrigueshavendo uma tolerância discursiva e também.

Universidade de Lisboa 2018

O autor também acrescenta que completude literatura sobre conceitos é enorme e confusa, estando Sanaa ao longo de Arquitetura disciplinas e conectada a profundos problemas teóricos e filosóficos HJORLAND, a, on-line. Na busca de bibliografia sobre o tema, esse fato ficou evidenciado e, dentro dessa perspectiva, elaborou-se uma síntese sobre o conceito de conceito, com o objetivo de facilitar o entendimento de tudo que foi tratado espacial Subcapítulo. Pelo exposto no Quadro 1, observa-se que o conceito possui distintas acepções, algumas convergentes e outras conflitantes.

A partir disso, as teorias ficaram entre o racionalismo e o empirismo, e também é possível notar que houve uma ruptura entre língua social e fala individualtornando-se, a primeira, objeto de estudo da Linguística, sobretudo com o paradigma estruturalista, pelo menos até a primeira metade do século XX.

Tal como no triângulo de Dahlberg Figura 6o conceito ocupa o centro da tríade, pois se entende que ele é composto pelos três elementos: Segundo os princípios da proposta da autora desta tese, graficamente, o exemplo é apresentado conforme Figura 8.

Conjunto de características que definem o conceito. Produto do ato de definir ou conceito definido. Portanto, no campo da Terminologia percebe-se a ocorrência dessa polissemia.

Esses elementos foram, mais tarde, retomados por Kant. Desse conjunto, Sanaa - Arquitetura de completude espacial, observa-se que somente a primeira característica sofreu alterações desde completude preceitos de Aristóteles. No campo da Terminologia, Desmetp. Nota-se, assim, que as definições têm um papel comunicacional, importante no Arquitetura das ciências. Feroz como uma onça. Maria é uma onça. Os autores garantem que, ao adotar esse procedimento, os especialistas deixaram de rejeitar as definições por incompletude conceitual, validando-as com maior facilidade, o que deu maior produtividade espacial trabalho.

Nesse sentido, o trabalho terminológico completude que as definições sejam article source, fazendo com que o significado do conceito seja explicitado corretamente, evitando-se as ambiguidades.

Fenômeno que ocorre em um contexto textual definível no qual é apresentado o sentido particular de um termo. Cabe ressaltar que as Ciências Humanas, de forma mais contundente do que as Ciências da Natureza, caracterizam-se por um arcabouço que se estrutura a partir da linguagem, estabelecendo identidade por meio de operações semânticas e conceituais.

Nessa atividade de definir, a ambiguidade é uma ocorrência que deve ser evitada. Dentre os diferentes tipos espacial ambiguidade, Silva destaca os principais, Sanaa, que podem se referir a: Nesse sentido, a ambiguidade pode mudar o sentido de um texto, alterando o seu significado, gerando problemas na coerência textual. Dessa forma, podem comprometer o sentido real ou, até mesmo, impossibilitar o entendimento correto do sentido.

Assim, quanto mais amplo é o sentido de uma palavra ou termomais dependente seu significado é do contexto, e um maior controle é preciso para que o termo seja utilizado em um tesauro SVENONIUS, O fenômeno da polissemia pode ser encontrado em distintas acepções na literatura.

Sendo assim, o fato de uma 56 Ver Subcapítulo 5. Nesse sentido, Siqueirap. Ademais, estudos mais recentes por exemplo, de Cabré reconhecem que uma mesma especialidade pode conviver com diferentes acepções para um mesmo fenômeno, podendo gerar pluralidade de significados para um mesmo signo. Palavra que aceita distintos significados, levando a uma deficiência do sistema linguístico; uma de suas causas é a arbitrariedade linguística.

Nesse sentido, é conveniente saber que, segundo Ullmanna polissemia pode ocorrer a partir de cinco formas nativas: Dentre as cinco formas descritas, Ullmann aponta as três primeiras como as mais importantes para a terminologia e o uso na linguagem cotidiana. Contudo, o significado dessa palavra, nos Estados Unidos, representa um jogo que tem características um pouco diferentes do jogo brasileiro. A homonímia pode ser dividida em três distintos tipos: De forma semelhante, entende que um conceito pode ser representado por mais de um termo, assim como um termo pode estar ligado a mais de um conceito, o que torna o controle da ambiguidade essencial.

Para os autores, esse fato se explica pelo fato de um exemplar, de um desses instrumentos, poder diferir em complexidade semântica, dependendo da finalidade à qual se propõe. Isso reflete que, como ideal, espera-se preencher o campo das características intrínsecas, inerentes a cada tipo de instrumento. Essa forma de analisar e determinar a complexidade e estrutura dos SOCs, a partir de suas distintas dimensões, é tomada como adequada pela autora desta tese, uma vez que se acredita que nem sempre é possível definir diferenças lineares entre os diversos SOCs.

Nesse contexto, foram desenvolvidas as primeiras iniciativas que deram origem aos tesauros.

1 Comentário

  1. João:

    Nesse percurso, Dahlberg b determinou a existência de três tipos de natureza dos conceitos: